Presidente do Sindspref tranquiliza servidores sobre dificuldades financeiras para o pagamento da folha

Sidney Lopes explica para servidores públicos municipais, que comentário do prefeito de Maceió sobre dificuldades financeiras para o pagamento da folha salarial, não tem fundamento

Presidente do Sindspref, Sidney Lopes, foi entrevistado na Rádio Correio AM 1200

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió e Região Metropolitana do Estado de Alagoas (Sindspref), Sidney Lopes, foi a público tranquilizar os servidores públicos municipais de Maceió, após declaração do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), na terça-feira (17), que afirmou sobre impossibilidade de pagar a folha de pagamento.

Rui Palmeira chamou de direitos excessivos o Plano de Cargos e Carreiras e o Estatuto dos Servidores públicos do município de Maceió com a intenção de colocar a culpa da sua má gestão na remuneração e nos direitos dos trabalhadores municipais. Para Sidney Lopes, o prefeito está, mais uma vez, fazendo uma declaração sem sentido, pois um relatório orçamentário e financeiro do Município de Maceió, feito pelo contador da Massayó Contabilidade, Diego Farias de Oliveira, e entregue ao prefeito em junho deste ano, prova que Maceió é a segunda capital nordestina com melhor desempenho econômico, com um Superávit Primário de R$156,9 milhões.

“Todo o discurso do prefeito é para desviar a atenção da sua administração ineficiente nos investimentos para melhorar a infraestrutura da cidade. Além do relatório contábil monstrar que o prefeito pode realizar o pagamento da folha sem atraso, ele também indica que se houver a diminuição de 11% dos cargos comissionados a administração pública pode realizar a reposição salarial dos trabalhadores sem problemas com a Lei de Responsabilidade Fiscal”, explica Sidney Lopes.

Durante entrevista na manhã de quinta-feira (19) na Rádio Correio AM 1200 de Maceió, o presidente do Sindspref tranquilizou os servidores. “Servidores, fiquem tranquilos, se por acaso o prefeito fizer com a sua equipe um atraso de pagamento vamos pedir uma auditoria na Prefeitura Municipal de Maceió, pois os relatórios contábeis que temos deixa bem claro que não existe nenhuma justificativa para atrasar salários. Entraremos com todos os artifícios jurídicos e de mobilização para que isso não ocorra”, expõe Sidney Lopes.

Os servidores públicos municipais de Maceió pedem um reajuste de 16,10%, valor referente ao IPCA de 2018, que foi de 4,17%; e às perdas salariais acumuladas dos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018. O Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Município de Maceió conquistou junto aos vereadores a inclusão dos 4,17% para 2019, na Lei Orçamentária Anual (LOA). Até o momento, a Prefeitura Municipal de Maceió não reajustou o salário dos seus trabalhadores.

ACESSO AO ARQUIVO COMPLETO DO PARECER CONTÁBIL ENTREGUE A PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *