Greve Geral no dia 18 de março está mantida e ato público é suspenso

Tendo em vista os últimos acontecimentos e a mudança no cenário nacional em relação à pandemia do COVID-19, além das orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas (Adufal), em conjunto com outras entidades sindicais do estado, além de algumas Centrais Sindicais do país, decide cancelar o ato público de protesto contra as medidas de ataque ao serviço público vindas do governo de Jair Bolsonaro (entre outras pautas), que ocorreria nesta quarta-feira, 18 de março.

A entidade reconhece que o momento requer segurança e prevenção máxima objetivando a saúde da população e a não proliferação de casos da doença. Contudo, ao mesmo tempo, é preciso reforçar as manifestações contra os ataques recorrentes do governo e em defesa dos direitos da classe trabalhadora.

A adesão à Greve Geral na quarta-feira (18) está mantida, porém os protestos serão realizados de forma virtual, por meio do site da entidade, envio de e-mails, atualização nas redes sociais, entre outras formas, com o objetivo de evitar a aglomeração de pessoas e ao mesmo tempo não se abster de denunciar os ataques do governo.

O presidente Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, demonstram que pretendem fazer uso do pânico generalizado no país com o “coronavírus” para enviar ao Congresso Nacional, o mais rápido possível, um conjunto de Proposta de Emenda à Constituição (PECs) e Medidas Provisórias (MPs) que sucateiam todo o serviço público que a população tem direito.

“Nós tivemos, nesse final de semana, uma ação criminosa do presidente da República que deixa claro que nós não podemos esperar nada de positivo deste governo, especialmente em relação ao servidor público. Quem acompanhou os jornais nesse fim de semana percebeu que o ministro Paulo Guedes defende o envio imediato das reformas administrativas para o Congresso Nacional, uma delas sugere a redução dos vencimentos dos servidores públicos e 25% de redução da carga horária. Por isso que a gente dá tanta ênfase em fazer a mobilização no dia 18 de março”, relatou o presidente da Adufal, Jailton Lira, durante reunião sobre o COVID-19 com os diretores das Unidades Acadêmicas da Ufal e a Reitoria, realizada na tarde desta segunda-feira (16).

“Nós vamos manter contato pelas redes sociais e pelas mídias para tentarmos encontrar formas criativas de resistência a esses ataques, porque o Congresso continua funcionando, o governo continua insistindo nessas mudanças neoliberais, que prejudicam a sociedade e o servidor público, e nós temos que encontrar alternativas e fazer frente a esse estado de coisas”, finalizou Jailton Lira.

Fonte: Karina Dantas/Ascom Adufal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *