Milhares de servidores participam de manifestação no primeiro dia de paralisação

Cerca de 1500 servidores públicos de Maceió caminharam até a Secretaria Municipal de Finanças em protesto pela reposição salarial

A insatisfação com as atitudes do governo culminou com mais uma manifestação na manhã desta segunda-feira (28). Em vez de ser a nível federal, foi a vez do executivo municipal enfrentar os protestos promovidos pelo Sindicato dos Servidores Públicos de Maceió (Sindspref) na Praça Deodoro, no Centro, com centenas de servidores municipais que pedem a reposição salarial dos anos de 2015, 2016 e 2017.

Em meio ao tempo chuvoso, a multidão se reuniu com carro de som, apitos e faixas mostrando de forma pacífica e coordenada o ponto de vista de cada categoria por meio de seus dirigentes. Ao termino dos discursos, os gritos em protesto ecoaram pelas ruas de Maceió: “Rui, 0% de novo não dá”, “Reajuste Já” e “Prefeito não insista, 0% de novo não dá”. O grupo que seguia a pé a cada esquina crescia, ao ponto de atingir mais de 1500 manifestantes, que foram até a sede da Secretaria de Finanças de Maceió, na Rua Pedro Monteiro.

De acordo com o presidente do Sindspref, Sidney Lopes, o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, não quer conversa com os servidores públicos ele atende apenas os empresários. “O que cobramos é um direito do servidor. A data-base deve acontecer anualmente e este já é o quarto ano que o prefeito não quer fazer a reposição dos salários, por isso convidamos a todos para participar desta luta, principalmente o aposentado que é o mais prejudicado com essa situação”, esclarece Lopes.

No segundo dia de paralisação os dirigentes dos sindicatos municipais irão visitar as secretarias para convocar todos o servidores para uma reunião com a Comissão de Negociação da Prefeitura, que será realizada segunda-feira (4) na Secretaria de Administração às 16h.

Apenas, 50% dos servidores públicos de Maceió trabalham nesta segunda e terça

Em virtude de acordo celebrado durante Assembleia Geral promovida pelo Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref) no Clube Fênix Alagoana na segunda-feira (21), 50% dos servidores públicos de Maceió irão paralisar suas atividades nesta segunda-feira (28) e terça-feira (29).
A paralisação foi a forma encontrada pelos servidores municipais para chamar atenção sobre a falta de negociação da Prefeitura de Maceió, que não quer realizar a reposição de 15,41%, referente aos anos de 2015, 2016 e 2017.
De acordo com o presidente do Sindspref, Sidney Lopes, a data-base deve acontecer anualmente e este já é o quarto ano sem que a Prefeitura de Maceió realize o reajuste. “Estamos lutando pelo direito do servidor público que estão com seus salários defasados. Caso não ocorra acordo entraremos em Greve sim”, esclarece Lopes.
O Sindspref aguarda retorno do prefeito Rui Palmeira sobre a melhoria salarial da categoria até a terça-feira (5/06), data da próxima Assembleia Geral que votará pela Greve.

Servidores de Maceió fazem paralisação por 48h

Durante Assembleia, servidores decidiram parar seus serviços nos dias 28 e 29

O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref) definiu uma paralisação com duração de 48h durante a Assembleia Geral realizada no Clube Fênix Alagoana na manhã desta segunda-feira (21). A paralisação que acontece nos dias 28 e 29 deste mês, foi a maneira encontrada pelos servidores municipais para chamar atenção sobre a falta de bom senso nas negociações com a Prefeitura de Maceió, que não quer celebrar a reposição de 15,41%, que é referente aos anos de 2015, 2016 e 2017.
De acordo com o presidente do Sindspref, Sidney Lopes, a gestão do prefeito Rui Palmeira aumenta os impostos, reajusta os valores anualmente nos contratos de terceirizados, mas não quer melhorar o salário dos seus funcionários. “O que estamos pedindo é um direito de todo trabalhador, além de uma necessidade. Pois as despesas para manter uma família são bem maiores do que em 2015. Ainda estamos demonstrando boa-fé perante os gestores do município ao realizar uma paralisação em vez da Greve Geral”, explica.

 

Após todas as tomadas de decisões, o grupo seguiu a pé até a Prefeitura de Maceió, para falar diretamente com o prefeito, mas quem os recebeu foi o seu assessor, Alexandre Mata, que se comprometeu em marcar uma reunião o mais rápido possível com o chefe do executivo municipal. Segundo o vice-presidente do Sindspref, Thiago Acioly, até então não houve uma reunião com o prefeito, apenas com seus secretários. “Durante Assembleia, percebemos a necessidade de uma reunião direta com prefeito de Maceió, já que não tivemos nenhuma proposta coerente de seus representantes”, esclarece Thiago.

A Greve Geral poderá ser decretada no dia 5 de junho, quando uma nova Assembleia Geral deve acontecer, caso a reunião com o prefeito Rui Palmeira não ofereça uma proposta viável.
Última Greve
Apesar do Sindispref cumprir todos os dispositivos legais para a Greve Geral realizada em junho de 2017, o Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) decretou sua ilegalidade. O advogado do sindicato, Alfredo Barros, explica que na visão do TJ/AL o sindicato estava fazendo reivindicações válidas e que cumpriu todos os requisitos exceto um, que foi o de comunicar a sociedade sobre a data da greve.
“Apesar de constar nos autos dois pareceres do Ministério Público no sentido de entender que houve o cumprimento integral de todos os requisitos para deliberação da greve e de comprovar a publicação de matérias jornalísticas e eventos como carreatas para divulgar o movimento; o TJ/AL entendeu que a comunicação teria que ser mais ampla e que a população foi pega de surpresa”, esclarece Alfredo.
De acordo com Sidney Lopes este ano a Greve Geral terá atenção redobrada aos detalhes das imposições legais, para que o servidor não seja de nenhuma forma prejudicado. “Todos os requisitos estão sendo feitos para que o nosso direito ao reajuste salarial não seja de nenhuma maneira impedido pelos poderes executivo ou legislativo”, observa o presidente do Sindspref.

Sindspref participa de luta pelo cargo de fiscal urbano

A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió e Região Metropolitana do Estado de Alagoas (Sindspref) participou da luta pelo recebimento do cargo de fiscal urbano durante o II Simpósio da Fiscalização de Fortaleza e o I Encontro Estadual dos Fiscais de Atividades Urbanas e Vigilância Sanitária, que aconteceu nos dias 18 e 19 de maio no Hotel Praia Centro, em Fortaleza, CE.

 

Com o tema “Resistência e valorização da Fiscalização Urbana frente ao desmonte do serviço público no Brasil”, a Associação dos Fiscais do Município de Fortaleza (AFIM) promoveu o evento que debateu as seguintes questões: “AGEFIS – Avanços e Desafios da Fiscalização de Fortaleza”, “A importância do planejamento e ordenamento urbano na construção de uma cidade harmônica – desordem gera violência?”, “Atividade de fiscalização – risco de vida?”, “O poder de polícia da fiscalização de atividades urbanas”.

 

Para a presidente da AFIM, Ana Lúcia Oliveira, o evento contribui para a busca de soluções para os principais problemas das cidades. “A falta de visão e de projeção da contribuição da fiscalização no processo de formação de cidades organizadas, mais seguras e menos violentas, prejudica a disponibilização de espaços públicos de qualidade, como também a promoção da saúde pública”, avalia.

 

Segundo o presidente do Sindspref, Sidney Lopes, explica sobre a importância da participação em eventos que valorizem o profissional. “Quanto maior for o reconhecimento dos trabalhos realizados pelos fiscais, mais eficiente serão nossas cidades. Por isso é importante o envolvimento de todos em eventos como este que aconteceu em Fortaleza”, ressalta.

Prefeitura rejeita reajuste dos servidores e Greve Geral deve ser decretada

O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref) definiu a reposição salarial em 15,41%, referente aos anos de 2015, 2016 e 2017. Esta foi a pauta de reivindicação aprovada pelos servidores do município de Maceió e debatida durante uma reunião no fim da tarde de quarta-feira (16) com o secretário Municipal de Gestão, Reinaldo Braga.

De acordo com o presidente do Sindspref, Sidney Lopes, a gestão do prefeito Rui Palmeira não quer dar absolutamente nada de reajuste, portanto a Greve Geral deverá ser deflagrada na próxima segunda-feira (21), dia da Assembleia Unificada, que será realizada com todos os sindicatos municipais às 9h no Clube Fênix Alagoana, na Av. da Paz, Centro.
“Estava esperando um bom senso da parte do prefeito Rui Palmeira, mas o secretário Reinaldo deixou bem claro que o executivo municipal não dará reajuste aos servidores. Eles só se comprometeram em pagar os salários em dia, mas veja bem: o pagamento em dia é uma obrigação!”, explicou Sidney Lopes.
Com o esgotamento de todas as tentativas negociais, o Sindspref está preparado para efetivar a Greve Geral com os todos os sindicatos municipais. “Convocamos todos os servidores que estão na ativa e os aposentados para comparecerem ao movimento no dia 21, pois sem a reposição salarial muitos servidores irão ganhar abaixo do salário mínimo. E isso não é forma de tratar o trabalhador”, ressalta o presidente do Sindspref.
Última Greve
Apesar do Sindispref cumprir todos os dispositivos legais para a Greve Geral realizada em junho de 2017, o Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) decretou sua ilegalidade. O advogado do sindicato, Alfredo Barros, explica que na visão do TJ/AL o sindicato estava fazendo reivindicações válidas e que cumpriu todos os requisitos exceto um, que foi o de comunicar a sociedade sobre a data da greve.
“Apesar de constar nos autos dois pareceres do Ministério Público no sentido de entender que houve o cumprimento integral de todos os requisitos para deliberação da greve e de comprovar a publicação de matérias jornalísticas e eventos como carreatas para divulgar o movimento; o TJ/AL entendeu que a comunicação teria que ser mais ampla e que a população foi pega de surpresa”, esclarece Alfredo.
De acordo com Sidney Lopes este ano a Greve Geral terá atenção redobrada aos detalhes das imposições legais, para que o servidor não seja de nenhuma forma prejudicado. “Todos os requisitos estão sendo feitos para que o nosso direito ao reajuste salarial não seja de nenhuma maneira impedido pelos poderes executivo ou legislativo”, observa o presidente do Sindspref.
Sindspref | Assembleia Geral Unificada
Data: segunda-feira (21/05)
Local: Clube Fênix Alagoana
Endereço: Av. da Paz, Centro, Maceió
Hora: 9h

Sindspref denuncia gastos desnecessários na Prefeitura de Maceió

Presidente do Sindspref, Sidney Lopes

Aumento da terceirização dos serviços prestados para o município de Maceió e despesas milionários mensais com publicidade foram denunciados pelo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref), Sidney Lopes, durante Assembleia Geral realizada na segunda-feira (23) no auditório do Sindicato dos Bancários de Alagoas.

De acordo com o presidente do Sindspref a gestão do prefeito Rui Palmeira passou de R$ 5 milhões para R$ 8 milhões em gastos com terceirização no município; e, com previsão de um aumento maior, pois profissionais da área de informática também estão começando a ser terceirizados.

“Além da valorização da terceirização em detrimento ao funcionário público, a Prefeitura vem gastando por mês em torno de R$ 2 milhões apenas com publicidade. Estamos acompanhando de perto todas essas despesas da gestão do prefeito Rui Palmeira, pois uma das principais justificativas dele para a recusa do aumento salarial dos servidores é a falta de dinheiro nos cofres municipais”, expõe Sidney Lopes.

Uma nova Assembleia Geral será realizada no dia 10 de maio pelo Sindspref no auditório do Sindicato dos Bancários de Alagoas com o intuito de debater a data-base e a Greve Geral, já que a Prefeitura de Maceió não marcou reunião da Mesa de Negociação Coletiva para atender as solicitações do sindicato de acordo com Ofício nº 15/2018 enviado no dia 30 de janeiro.

Sindspref | Assembleia Geral Extraordinária

Data: quinta-feira (10/05)

Local: Sindicato dos Bancários de Alagoas

Endereço: Rua Barão de Atalaia, 50 – Centro, Maceió

Hora: 1ª chamada 14h30 | 2ª chamada 15h

Sindspref convoca assembleia para debater data-base dos servidores de Maceió

Para os servidores públicos de Maceió, todo mês de janeiro significa data-base, entretanto o ofício enviado no primeiro mês do ano para a Prefeitura Municipal de Maceió pelo Sindicato dos Servidores Públicos do Munícipio de Maceió e Região Metropolitana do Estado de Alagoas (Sindspref) para debater sobre o reajuste salarial dos funcionários não obteve retorno.

Com o intuito de reunir os servidores municipais para cobrar uma decisão da Prefeitura, a diretoria do Sindspref convocou uma Assembleia Geral Extraordinária, por meio de Edital de Convocação publicado na quarta-feira (18). A assembleia será realizada na segunda-feira (23), no Sindicato dos Bancários de Alagoas às 8h30.

O presidente do Sindispref, Sidney Lopes, explica que é imprescindível a participação dos servidores filiados. “Como a Prefeitura não se pronunciou a respeito das nossas reivindicações, temos que ter uma frente unida para cobrar e concretizar as melhorias necessárias para a categoria”, ressalta Lopes.

Sindspref | Assembleia Geral Extraordinária

Data: Segunda-feira (23/04)

Local: Sindicato dos Bancários de Alagoas

Endereço: Rua Barão de Atalaia, 50 – Centro, Maceió

Hora: 1ª chamada 8h30 | 2ª chamada 9h

Chapa “Respeito e Transparência” é reeleita

Grupo permanecerá na diretoria por mais quatro anos

Presidente reeleito, Sidney Lopes

A chapa única “Respeito e Transparência” obteve 96% dos votos calculados nas eleições dos representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maceió e Região Estadual de Alagoas (Sindspref). A votação aconteceu na última quarta-feira (07), das 8h às 15h, quando encerrada para a apuração dos votos, na sede do Sindicato.

Segundo o presidente reeleito, Sidney Lopes, os votos recebidos demonstram a confiança dos sindicalizados na gestão atual. “Conseguimos obter um resultado extremamente positivo, agradeço a todos de Maceió que vieram até a sede do Sindicato para votar, também aos servidores de outros municípios, como Santa Luzia do Norte, Barra de São Miguel, Messias e Pilar”, disse o presidente.

O grupo “Respeito e Transparência” terá um novo integrante em sua gestão, Thiago Acioly, funcionário da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (SEMSCS), assumirá o cargo de vice-presidente.

Em sua primeira declaração, o novo vice-presidente informou que pretende fazer o melhor possível por todos os servidores. “Como servidor público, sempre recorri ao Sindicato em busca de melhorias para a minha Secretaria e minhas solicitações foram atendidas, do mesmo modo, almejo prestar apoio aos servidores em todas as suas reivindicações”, disse Acioly.

Os representantes eleitos ocuparão seus respectivos cargos durante o quadriênio de 2018 a 2022.