Prefeitura não respeita direitos adquiridos e servidores rejeitam proposta de reposição

Proposta final de reposição salarial de 3% sem pagamento de retroativos, desrespeita legislação municipal

 

O não pagamento de retroativo e o ajuste sem contemplar o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) foram os principais motivos para a rejeição da proposta de reposição salarial feita pela Prefeitura de Maceió aos servidores públicos municipais. O Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Município de Maceió não aprovou o reajuste de 2% no mês de junho e 1% em outubro, sem pagamento de retroativos, durante Assembleia Geral na manhã desta quinta-feira (14), no Clube Fênix Alagoana.

Depois de rejeitar a última proposta feita pelo executivo municipal, os servidores fizeram uma caminhada até a frente da Secretaria Municipal de Gestão (Semge) para reivindicar os seus direitos. A categoria pede a reposição salarial de 15,41%, referente a perda da inflação de 2015, 2016, 2017 e 2018.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref), Sidney Lopes, o executivo municipal pode e deve dar ao servidor público municipal seus direitos adquiridos. “A data-base do servidor municipal de Maceió é em janeiro e o seu reajuste anual deve contemplar o IPCA. O nosso movimento pede para que esses requisitos sejam atendidos”, explica.

O secretário municipal de Economia, Felipe Mamede, informa que as negociações estão sendo baseadas na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), para não prejudicar as finanças do município. “O Relatório Fiscal divulgado pela Secretaria Municipal de Economia no Diário Oficial de 30 maio de 2018 mostra que o poder executivo tem sim condições de apresentar uma proposta melhor do que essa, pois no documento consta que o gasto com a folha de pagamento é de 47,75%, que é abaixo do valor máximo”, expõe Sidney Lopes.

Prefeitura de Maceió nega retroativos e aumenta apenas 0,05% da proposta anterior

Proposta não melhora e servidores municipais fortalecem movimento

Mesa de Negociação na Semec dia terça-feira (12)

Sem evolução, Prefeitura de Maceió apresentou proposta final de 3% para reposição salarial dos servidores públicos municipais na tarde de terça-feira (12), por meio do secretário Municipal de Economia, Fellipe Mamede, durante reunião na Secretaria Municipal de Economia (Semec). Enquanto os dirigentes dos sindicatos municipais participavam da negociação, o movimento se fortalecia do lado de fora do prédio, onde milhares de funcionários paralisaram suas atividades e ficaram esperando pelo resultado sobre a data-base dos servidores até anoitecer.

Servidores municipais paralisara atividades e aguardaram resultado das negociações

O novo percentual de reajuste oferecido pelo executivo municipal não teve muita mudança frente aos 2,95% da última Mesa de Negociação, na sexta-feira (8). Fellipe Mamede informou que a Prefeitura de Maceió trabalha no limite e que o reajuste salarial só pode ser feito em 2% no mês de junho e 1% em outubro, sem pagamento de retroativos.

Até o momento, os sindicatos estão fazendo o máximo para conseguir melhores resultados nas negociações e por isso não deliberaram a greve. As reuniões estão acontecendo e suas reivindicações estão sendo ouvidas. Mas é necessário que além de serem escutadas, também sejam colocados em prática parâmetros para suas realizações, o que não ocorre de acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref), Sidney Lopes.

“Toda semana estamos fazendo reuniões, mas as propostas não avançam como a categoria gostaria. Veja bem: ano passado não houve aumento e a Prefeitura não quer dar o retroativo. A data-base do servidor não está sendo cumprida e os percentuais parcelados não traduzem o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA).”, refletiu Sidney Lopes.

Na próxima quinta-feira (14) às 9h ocorre uma Assembleia Geral para discutir o posicionamento dos servidores públicos do município de Maceió, no Clube Fênix Alagoana.

Após rejeitar proposta, servidores paralisam atividades e participam de nova reunião

 Mesa de Negociação será realizada na tarde desta terça-feira (12) 

Servidores rejeitam proposta durante Assembleia Geral na segunda-feira (11)

Os servidores municipais de Maceió rejeitaram proposta de reposição salarial de 2,95% sem pagamento de retroativo durante uma Assembleia Geral realizada na manhã da segunda-feira (11) no Clube Fênix Alagoana. A categoria também irá paralisar suas atividades, ao mesmo tempo em que seus dirigentes participam de mais uma rodada de negociações com o executivo municipal às 14h desta terça-feira (12) na Secretaria Municipal de Gestão, rua Pedro Monteiro, Centro.

Durante reunião com a Mesa de Negociação da Prefeitura de Maceió na sexta-feira (8) o secretário Municipal de Economia, Fellipe Mamede, repassou a seguinte proposta de reposição salarial: 1,85% no mês de junho e 1,10% em novembro; sem o pagamento de retroativos e sem respeitar a data-base e o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA).

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref), Sidney Lopes, informa os servidores aderiram a paralisação para acompanhar de perto todas as negociações.

“Todos os funcionários públicos, que trabalham para a Prefeitura de Maceió tem que ter seus direitos garantidos e é necessário que todos estejam engajados, fortalecendo a luta. Os dirigentes estarão na reunião, mas a categoria tem que pressionar do lado de fora, mostrar a sua força”, ressalta o presidente.

Ao longo de 2018, a Prefeitura de Maceió apresentou três propostas diferentes para reposição salarial: inicialmente 0%, depois foi de 1,85% e por fim 2,95%. A categoria reivindica 15,41% referente a perda da inflação de 2015, 2016, 2017 e 2018.

Prefeitura de Maceió faz nova proposta de reposição salarial para servidores

Servidores votam nova proposta durante Assembleia Unificada na próxima segunda-feira (11) 

Mesa de Negociação com secretário Municipal de Economia, Fellipe Mamede | Foto: Pei Fon, Secom Maceió

Durante reunião com a Mesa de Negociação da Prefeitura de Maceió na tarde de sexta-feira (8) o secretário Municipal de Economia, Fellipe Mamede, repassou proposta de 2,95% para reposição salarial dos servidores municipais de Maceió. Sendo 1,85% no mês de junho e 1,10% em novembro deste ano, sem pagamento de retroativos.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref), Sidney Lopes, informa que uma nova assembleia foi marcada para segunda-feira (11) às 9h no Clube Fênix Alagoana para realizar a votação da nova com os servidores de Maceió.

“Desde o começo do ano estamos tentando adiantar esta negociação, que começou nas últimas reuniões a demonstrar resultados diferentes de 0%. Acredito, que seja pela força do nosso movimento unificado. Tenho certeza que quanto mais servidores estiverem engajados com a luta, mais forte ela será e consequentemente nossas reivindicações serão atendidas. Por isso, é essencial a participação de todos em nossas assembleias e ações”, expõe Sidney.

A proposta da categoria é de 15,41% para a reposição salarial referente a perda da inflação de 2015, 2016, 2017 e 2018. Uma nova reunião com a Mesa de Negociação ficou agendada para terça-feira (12) às 14h na Secretaria Municipal de Gestão, na rua Pedro Monteiro, Centro.

Assembleia Geral Unificada

Data: Segunda-feira (11/06)

Local: Clube Fênix Alagoana

Endereço: Avenida da Paz, Centro

Hora: 1ª chamada 9h | 2ª chamada 9h30

Após pressão, Prefeitura de Maceió agenda reunião com servidores para sexta-feira (8)

Secretário de Finanças de Maceió marcou reunião para amanhã às 14h

Reunião na CUT/AL com dirigentes dos sindicatos municipais

O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref) informa que a Prefeitura de Maceió, por meio do secretário de Economia, Felipe Mamede, remarcou reunião com Mesa de Negociação sobre reposição salarial para sexta-feira (8) às 14h na Secretário Municipal de Gestão (Semge), Centro. Ao mesmo tempo será realizada uma vigília com os servidores municipais em frente ao prédio da Semge para acompanhar as propostas.

Inicialmente, a reunião estava marcada para às 16h desta quinta-feira (7) e foi cancelada, pois o secretário municipal de Gestão, Reinaldo Braga, está doente. Com o cancelamento, os dirigentes dos sindicatos municipais se reuniram na manhã de hoje (7), na sede da Central Única dos Trabalhadores Alagoas (CUT/AL), e entraram em contato com os gestores do município para cobrar uma nova reunião o mais rápido possível, e conseguiram.

PROPOSTA

Na terça-feira (5) os servidores públicos do município de Maceió rejeitaram por unanimidade proposta de 1,85% sem o pagamento de retroativos feita pela Prefeitura de Maceió durante Assembleia Geral realizada no Clube Fênix Alagoana. A proposta da categoria é 15,41% para a reposição referente a perda da inflação de 2015, 2016, 2017 e 2018.

Reunião com Mesa de Negociação é cancelada

Sindicatos municipais irão se reunir amanhã às 10h na CUT Alagoas

O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref) informa que a reunião na Secretário Municipal de Gestão (Semge) para tratar sobre a reposição salarial da categoria, marcada para às 16h da quinta-feira (7) foi cancelada. O secretário municipal da pasta, Reinaldo Braga, não poderá comparecer por motivo de doença, de acordo com o seu gabinete.

Com o cancelamento, os servidores municipais também não irão fazer a vigília em frente ao prédio da Semge. Os sindicatos municipais marcaram uma reunião para amanhã (7), às 10h na sede da Central Única dos Trabalhadores Alagoas (CUT/AL), na Rua General Hermes, Cambona.

Na última terça-feira (5), durante Assembleia Geral no Clube Fênix Alagoana, os servidores rejeitaram por unanimidade a proposta de 1,85% sem o pagamento de retroativos feita pela Prefeitura de Maceió. Eles também decidiram não declarar Greve Geral, pois uma nova reunião com a Mesa de Negociação estava marcada.

Servidores de Maceió rejeitam proposta de 1,85% para reposição

Os servidores públicos do município de Maceió rejeitaram por unanimidade proposta de 1,85% sem o pagamento de retroativos feita pela Prefeitura de Maceió para a reposição salarial. A categoria se reuniu na manhã desta terça-feira (5) no Clube Fênix Alagoana.

Desde janeiro, o Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref) passou para o executivo municipal, em diversas ocasiões, a proposta de 15,41% para a reposição salarial referente a perda da inflação de 2015, 2016, 2017 e 2018. Para o presidente do Sindspref, Sidney Lopes, a equipe do prefeito Rui Palmeira e o próprio prefeito se contradiz ao falar que não temos definido o que queremos e que eles estão dispostos a dialogar.

“Em diversas ocasiões informamos o percentual que queremos para a reposição salarial dos servidores e mostramos o motivo, estão aí tantas notícias que saíram na imprensa desde o começo do ano para provar. Então, não adianta fazer uma reunião para propor 0% ou quase 2%, quando sabe que nossa proposta é 15%. Os gestores a frente do executivo municipal tentam criar um discurso onde não temos definido uma proposta ou então que não estamos dispostos a negociar, quando na verdade são eles que trabalham dessa forma”, esclarece Sidney Lopes.

A categoria decidiu não declarar Greve Geral, pois está marcada para às 16h da quinta-feira (7) outra reunião para tratar da reposição salarial dos servidores públicos municipais de Maceió com a comissão de negociação da Prefeitura de Maceió na Secretaria Municipal de Gestão, na rua Pedro Monteiro, Centro. Ao mesmo tempo em que ocorre a reunião, os servidores irão se reunir em frente ao prédio da Secretaria como forma de protesto em apoio aos seus direitos salariais.